Alexandra Machado - Nova Ashoka Fellow

O inovador programa de mentoria da Academia Girl MOVE prepara uma nova geração de líderes femininas em Moçambique, mudando assim as expectativas quanto ao papel das mulheres na sociedade. Através da partilha de ferramentas e conhecimentos, do desenvolvimento da confiança e de orientação, estas jovens tornam-se agentes transformadores do seu país e embaixadoras de novos papéis femininos.

Em Moçambique, menos de uma em cada quatro das jovens moçambicanas progridem do 7º para o 8º ano. O casamento prematuro e gravidez precoce estão relacionados com a privação à educação, que por sua vez intensifica a vulnerabilidade das mulheres. Devido à mentalidade predominante, a educação superior não é garantia de perspetivas de vida promissoras. De facto, as poucas mulheres que completam um curso superior (1%) são contratadas para trabalhos subqualificados. Muitas querem ativamente lutar contra um sistema de desigualdade de género, mas carecem de competências e compreensão da realidade do seu país. O país desperdiça assim metade da sua capacidade para o desenvolvimento.  

Todos os anos, o projeto Girl Move seleciona 30 jovens licenciadas, às quais garante uma bolsa, para um programa pós-graduação, em empreendedorismo social e liderança pelo serviço. O programa desenrola-se em Moçambique e em Portugal e articula a aprendizagem teórica da Liderança enquanto disciplina com experiências efetivas de condução de trabalho comunitário em bairros desfavorecidos. Cada Girl Mover é acompanhada por uma Mentora; é também responsável por acompanhar o desenvolvimento pessoal e intelectual de jovens moçambicanas que ainda frequentam a sua educação intermédia. Os resultados a curto-prazo desta componente da academia falam por si: 80% das aprendizes transitam para a escola secundária (em contraste com os 24% a nível nacional), livres da tragédia da gravidez na adolescência.  

Nascida em Lisboa numa família profundamente católica, Alexandra Machado ー conhecida pelos seus colegas da escola como ‘a solucionadora de problemas’ ー desenvolveu uma carreira de 25 anos no mundo empresarial. Já como investigadora do papel das mulheres nos países em desenvolvimento, viaja para Moçambique; esta viagem mudaria a sua vida, bem como a de muitas jovens. Foi nomeada Ashoka Fellow pela sua determinação em criar um projeto que contrariasse o défice educativo das moçambicanas pela raiz. O impacto da sua iniciativa passa de geração em geração, num modelo extensível a outros países. Para aprofundar e acelerar este processo, Alexandra partilha os métodos e ferramentas da Academia, proporcionando apoio técnico e supervisão a programas de empoderamento de raparigas por todo o continente africano. Adicionalmente, colabora com o Governo de Moçambique na redefinição da Política de Género, e na criação de uma estratégia que conduza à integração de um modelo de mentoria semelhante ao da Girl Move no sistema de educação.


Print